quinta-feira, 30 de julho de 2015

Mas um lindo evento em Passo Fundo/RS realizado pela Academia de Cozinha com Chef. Fabio Lima.












Um ótimo dia a todos.
Equipe Academia de Cozinha.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Queijo Fundido

Bom dia!!!

Depois de uma semana com muitos sabores, estamos quase concluindo nosso bate papo de cozinha. Hoje vamos falar sobre "Queijo Fundido"

E claro juntos vamos ensinar a vocês a fazerem uma deliciosa receita.

 " Cheesecake de goiabada"(confira a receita aqui)



"Queijo Fundido"

Os queijos Fundidos surgiram dos esforços que alemães e suíços fizeram para encontrar uma forma de exportar queijos para países de clima quente.

Em 1911, a empresa suíça Gerber encontrou a solução, aquecendo queijos emental e gruyére com citrato de sódio, composto que facilita a fusão. Nasceram assim, os queijos fundidos.
Os queijos fundidos são uma mistura balanceada de diversos tipos de queijos, adicionados ou não água, manteiga, ou creme de leite, além de saborizantes que permitem que sejam oferecidos em várias versões.

No Brasil, os queijos fundidos usam estepe ou cheddar como base e que propiciam uma variedade de produtos que dispensam refrigeração.
Em geral há dois tipos de queijos fundidos: queijos fundidos em blocos e queijos fundidos cremosos. São comercializados em fatias, porções, em copos (quando espalháveis) ou em versões pré-preparas para fondue.

Basicamente o princípio básico do processamento do queijo processado ou fundido é o mesmo do requeijão (ou melhor, o requeijão é o mesmo do processado uma vez que este surgiu primeiro que o requeijão) e compreende: obtenção de massa (neste caso utilização de queijos jovens a muito maturados), preparo da massa (limpeza, trituração), cálculos de formulações, fusão (sais fundentes, calor e ação mecânica) e envase.

Queijo processado ou fundido é o produto obtido por trituração, mistura, fusão, emulsão por meio de calor e agentes emulsionantes de uma ou mais variedades de queijos, com ou sem adição de outros produtos lácteos e/ou sólidos de origem láctea e/ou especiarias, condimentos ou outras substãnciass alimentícias na qual o queijo constitui o ingrediente lácteo utilizando como matéria prima preponderante na base láctea.

Na base do queijo, podemos adicionar: creme de leite, manteiga, gordura anidra de leite ou butteroil, leite, água, queijos fundidos, leite em pó, caseinatos, queijo em pó, outros sólidos de origem láctea, cloreto de sódio (sal), condimentos, especiarias, outras substâncias, edulcorantes nutritivos, amidos ou amidos modificados, ar, nitrogênio, dióxido de carbono, gases inertes, todos eles na qualidade alimentar.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Queijo de Mofo Branco

Boa tarde!!!

Seguindo nosso papo de cozinha, hoje falaremos sobre o "Queijo de Mofo Branco".

E junto daremos uma deliciosa receita.

"Salada de Lula, tomates cereja e Queijo Brie".(confira a receita aqui)


Queijo de Mofo Branco

Entre eles os mais conhecidos estão:

Camembert 
Brie
Bleu
Bresse
Mi-Chrévre

Suas características:

A característica do queijo de mofo branco é determinada, por sua aparência, aveludada, branco ou acinzentado ( dependendo da espécie de mofo utilizada) com pleno e abundante crescimento, sem vestígio de contaminações (outros fungos) de variadas tonalidades.
Relacionado ao aspecto está no mesmo nível de importância a característica de sabor, textura e aroma, proporcionados pela atividade proteolítica e lipolítica que é a essência do queijo mofado maturado.
Ao corte, o queijo dependendo de seu grau de maturação ( o que acontece na evolução dos dias) apresenta uma camada de consistência untuosa (entre a crosta externa e o centro do queijo, crescimento e proteólise de "fora para dentro".

Modo de armazenar:

Antes de abrir, até o prazo de validade, conserve em geladeira na temperatura indicada pelo fabricante. Após aberto, para guardar, envolva os queijos no papel branco original em que veem embrulhado. Este é um papel especial que protege e mantêm intacta a aveludada crosta branca da superfície. Retorne a geladeira e consuma entre 4 a 5 dias, É natural que o mofo branco vá se espalhando pela superfície da massa do queijo.

Espero que vocês estejam gostando do nosso passeio por este mundo dos queijos.

Um ótimo dia.
Equipe Academia de Cozinha.


terça-feira, 21 de julho de 2015

Queijo de Mofo Azul



Boa tarde!!!

E continuando nosso bate papo de cozinha. Hoje falaremos sobre "Queijo de Mofo Azul".

Confira também nossa receita com estes delicioso queijo "Bruschetta com geléia de cebola e gorgonzola". confira a receita



Muito presente em nossa gastronomia.



Este queijo recebe o fungo "Penicillium Roqueforti" e depois são perfurados para o oxigênio entrar naturalmente, formando os veios azulados, tendo alguns com consistência cremosa e esfarelados, de sabor picante e aroma forte. Entre as variedades, as mais populares são Gosgonzola, Roquefort, Azul de Maytag e Silton.

Os mais presentes em nossas cozinhas são:

Queijo Gosgonzola: queijo de origem italiana e caracteriza-se por maturação com Penillium Roqueforti, que confere aos queijos seus veios azulados. Por isso faz parte da família dos queijos Azuis ou queijo de Mofo Azul. Os gorgonzolas brasileiros em geral são cilíndricos e pesam ao redor de 3 kilos. São apresentadas também versões ja fracionadas. Apresentam massa úmida com veios azuis esverdeados, textura macia, um pouco pastosa e quebradiça. Têm sabor pronunciado e característico, ligeiramente salgado. Seu ponto ideal de maturação é ao redor de 45 dias após a fabricação, quando já perdeu um certo sabor amargo típico do início da maturação.

Queijo Roquefort: produzido com leite de ovelha não pasteurizado ao qual é adicionado o mofo Penillium Roquefort. A umidade e a quantidade de ar no local de maturação, necessárias para que o mofo se desenvolva no queijo, são rigorosamente controladas. Originário da região de Rouergue, Franças, tem forma cilíndrica e pesa de 2kg a 3 kg. A casca é pegajosa de cor marfim bem clara e a textura é macia, com um aroma característico e sabor que pode ser mas ou menos picante de acordo com o grau de maturação.

Um ótimo dia!!!

Equipe Academia de Cozinha.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Queijos

Boa tarde!!! 

Estamos aqui preparando novas receitas especiais para vocês. "Em Breve aqui no nosso Blog".

Mas em quanto isso, resolvemos compartilhar com vocês um assunto que apareceu naquele bate papo de cozinha.  "Queijo"

Deu água na boca não é mesmo? E um ingrediente muito conhecido em nosso cotidiano.
Mas você sabe como surgiu? Qual a diferença entre eles? 
Hummmm bateu a duvida, não é mesmo???

Tudo bem, nós também ficamos com essa duvida.
Por isso resolvemos pesquisar um pouco, e compartilhar com vocês estas curiosidades.

Mas para não deixar muito extenso nossas publicações, resolvemos dedicar essas semana para esse delicioso ingrediente.

Vamos começar  conhecendo um pouco sobre sua "Origem" e vamos saber uma pouco mas sobre os conhecidos "Queijos Duros"

Sua origem.

Sabemos que o queijo é um alimento muito antigo. Não há qualquer evidência indicando onde a produção teve origem. A data de sua origem pode variar desde aproximadamente 8.000 a.C, até por volta de 3.000 a.C. O primeiro queijo pode ter sido feito por pessoas no Oriente Médio ou pelos povos túrquicos nômades da Ásia Central.
É provável que o processo de produção do queijo tenha sido descoberto acidentalmente ao estocar leite em um recipiente feito do estômago de um animal, resultando na transformação do leite em coalhada e soro pela quimosina do estômago.

Queijo

Qualquer que seja o tipo do queijo, a matéria prima é uma só: o leite que pode ser de vaca, ovelha, cabra e de búfala.

Como acontece com os vinhos, as condições climáticas e geológicas tem influência no sabor e no estilo do queijo, já que determinam a forma como o animal é criado e alimentado.
Assim, seu leite terá características especificas e irá determinar o sabor final do queijo.

Queijos Duros.

Estes queijos são desidratado para ganhar consistência endurecida.
Passa por grande período de maturação, ganhando aromas e sabor intenso.

Para armazenar corretamente esse queijo é essencial observa a embalagem. Os climas variam muito de região para região no Brasil, portanto em casos de climas muito quentes como norte e nordeste do país, os queijos secos e maturados não devem ser mantidos fora da geladeira.

Dica: um torrão de açúcar dentro do pote ou mesmo um cotonete embebido com vinagre, evitam mofo no queijo durante a conservação.

Alguns tipos de "Queijo Duro"




Espero que vocês tenham gostado um pouco de conhecer um pouco mas sobre ingrediente.

Amanhã conheceremos um pouco mas sobre o "Queijo de Mofo Azul".

Uma ótima semana a todos.
Equipe Academia de Cozinha.




quarta-feira, 15 de julho de 2015

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Evento

Boa tarde!!!

Mas um belo evento.

Pan-Americano de Kung Fu com Chef Tânia Godoi em Ibis Santo André.







sexta-feira, 10 de julho de 2015

Dia da Pizza!!!

Boa tarde!!!

Para comemorar o Dia da Pizza, nada melhor que conhecer um pouco sobre a historia deste  iguaria da gastronomia italiana.



Apesar de acharmos que a Pizza teve origem na Itália, não foi bem assim que aconteceu. 

Esta delicia teve início há pelo menos seis mil anos atrás, provavelmente entre os egípcios e os hebreus, chamado na época de "pão de Abrahão", semelhante ao moderno pão sírio. 
Outros afirmam que os primeiros foram os gregos, que faziam massas a base de farinha de trigo, arroz ou grão de bico e as assavam em tijolos quentes.
 
Três séculos antes do nascimento de Cristo, os fenícios tinham o hábito de recamar seus pães com carne e cebola; os turcos muçulmanos mantinham a mesma tradição ao longo da Era Medieval, assim, no intercâmbio de valores e elementos culturais entre povos, durante as Cruzadas, esse costume desembarcou na Itália através do porto de Nápoles.
No começo a pizza contava somente com o acréscimo de ervas da região e do tradicional azeite de oliva, comuns neste prato em seu formato convencional. Os italianos levaram a fama por adicionar o uso do tomate, recém chegado da América pelas mãos dos espanhóis, que se tornaria essencial na confecção desta iguaria.

Restava à pizza conquistar seu formato definitivo, pois ainda era produzida com o atual calzone e o sanduíche. Na época a pizza era um prato elaborado para matar a fome dos pobres que habitavam o Sul da Itália. Chega então a Nápoles, já considerada a terra da pizza, o conhecimento da expressão "picea", que tinha a conotação de um disco. Os vendedores adotaram esta receita para, com o uso de alimentos baratos, nutrir os mais pobres.

Esta iguaria da gastronomia italiana foi amplamente difundida em meados do século XIX, em 1889, graças à habilidade do primeiro pizzaiolo da história, do Raffaele Espósito, um padeiro de Nápoles a serviço do rei Umberto I e da rainha Marghareti, a quem ele homenageia ao confeccionar uma pizza imitando as cores da bandeira italiana. A rainha apreciou tanto este prato que dom Raffaele decidiu batiza-lá de Margherita.




quarta-feira, 8 de julho de 2015

Canja à Brasileira

Boa tarde!!!

E para estes dias mais frios, nada melhor que uma sugestão quente.

Hoje vamos lhe ensinar a fazer uma deliciosa " Canja à Brasileira".




Ingredientes

Azeite de oliva ___________________________ 01 colher de sopa
Frango (pedaços) ________________________  01 unidade
Cebola (picada) __________________________ 01 unidade
Tomates Concassé (picados) _______________  05 unidades
2 dentes de alho(amassados)_______________  02 unidades
Noz-moscada ___________________________  quantidade necessária
Sal ____________________________________ quantidade necessária
Água fervente ___________________________  02 litros
Cebolinha-verde _________________________  01 unidade
Arroz___________________________________ 01 xícara de arroz

Modo de preparo


1)       Coloque o azeite em uma panela e junte o frango, a cebola, o tomate, o alho, a noz-moscada e o sal.
2)       Deixe dourar, depois acrescente 2 litros de água.
3)       Tampe a panela e deixe cozinhar em fogo baixo.
4)       Quando a galinha estiver macia, retire do caldo, desosse e desfie.
5)       Coloque a carne desfiada na panela e acrescente o arroz.
6)       Deixe ferver em fogo bem brando por 30 minutos.
7)       Se necessário, junte mais água.
8)       Acerte o tempero. 

Não deixem de fazer essa deliciosa receita.

Um ótimo dia.
Equipe Academia de Cozinha.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Breve novas receitas!!!

Boa tarde!!!

E a produção da Academia de Cozinha não para.

Na próxima semana, estas e outras receitas novas e deliciosas em nosso Blog.

Não deixe de nós acompanhar.